Alimentos afrodisíacos – mito ou realidade?

13 Oct 2020 no comments daniela Categories Blog, Publicações, Receitas

Existem mesmo alimentos que estimulam o desejo sexual ou trata-se apenas do poder da sugestão? Será este um mito criado pelos humanos ou será mesmo uma realidade?

O termo afrodisíaco provém de Afrodite, a deusa grega do amor, e é usado para definir algo que estimula o desejo sexual. Genericamente, são considerados alimentos afrodisíacos aqueles que despertam sensações associadas ao desejo e à excitação sexual, como o aumento da frequência cardíaca, o aumento do fluxo de sangue nos órgãos sexuais, promovem um aumento da temperatura corporal e da energia.

Ao longo da História muitos alimentos têm sido considerados afrodisíacos. Desde especiarias como o açafrão a alimentos que supostamente têm aparência de órgãos genitais masculinos e femininos, como são exemplo os espargos e as ostras. D acordo com Diane Hoppe, ginecologista obstetra americana e autora do livro “Healthy Sex Drive, Healthy You” a reputação das ostras pode ser fundamentada em termos de benefícios para a saúde sexual, por conter grandes quantidades de zinco (um mineral importante para a produção de testosterona e quantidade de esperma, factores essenciais para a fertilidade masculina).

Mas, o que eu percebo, da minha prática profissional, enquanto consultora de alimentação consciente e natural é que não existem receitas que funcionem para todos. O desejo sexual, nos homens e nas mulheres funciona de forma diferente. Principalmente para as mulheres existem muitas variáveis que vão além do sexo físico, o que dificulta encontrar “receitas” que funcionem para ambos os sexos.

Vários especialistas partilham a ideia de que, embora a maior parte dos alimentos apontados como afrodisíacos não tenham evidências científicas que os apoie como tendo efeitos benéficos no imediato, estes podem, no entanto, ter alguns efeitos benéficos a médio ou longo prazo na saúde geral (e sexual, por acréscimo) devido à sua composição nutricional. No entanto a sua utilização pode ser incrementada e com um efeito positivo tendo em consideração o poder da sugestão e da antecipação que podem motivar o desejo sexual.

O facto de as pessoas gostarem de determinado alimento que acreditam ser afrodisíaco e se sentirem mais eróticas e excitadas quando o ingerem pode ter influência e isso não é negativo. No entanto, alguns alertam para o facto de que recorrer a afrodisíacos na ausência persistente de desejo sexual poder ser um erro. Por exemplo, se a pessoa estiver deprimida deverá consultar um psicólogo ou um psiquiatra; se o seu relacionamento não for satisfatório, poderá procurar um terapeuta. Não se conseguem resolver problemas de libido recorrendo a este ou aquele alimento.

Em relação ao chocolate, o alimento que é quase número 1 em todas as listas, este era considerado um poderoso afrodisíaco para o povo Asteca e, nos dias de hoje, continua a ser alimento muito popular e de “conforto”. A sua ingestão, embora esteja associada a um aumento dos níveis de serotonina (neurotransmissor que é activado durante a excitação sexual), não tem um impacto significativo na libido. Embora o chocolate também contenha feniletilamina, uma substância química que pode provocar a sensação de excitação e de bem-estar geral, o corpo humano absorve apenas uma quantidade insignificante de feniletilamina através da ingestão de chocolate. No entanto o poder da sugestão e da antecipação, pelo facto de ingerir chocolate é enorme, até porque ele é associado a muitas fantasias. Isso sim, tem um enorme poder afrodisíaco.

Martha Hopkins, durante a pesquisa para o seu livro “Intercourses” sobre alimentos afrodisíacos, descobriu que quase todos os alimentos foram considerados afrodisíacos em algum momento da história. Ela diz o seguinte: “Historicamente, os alimentos considerados afrodisíacos eram difíceis de encontrar, raros ou caros, como trufas, foie gras e caviar, ou em forma de órgão sexual, como aspargos ou alcachofras, e até mesmo testículos de animais”.

Hoje tendemos a pensar em afrodisíacos em termos de luxúria, romance e libido. Mais uma vez estou a referir o poder da sugestão e da antecipação. Existem alguns alimentos que auxiliam na saúde em geral e que por isso beneficiam o desempenho sexual. Mas quando falamos em afrodisíacos, a maioria de nós, não pensa em desempenho sexual. Pensa em desejo. Do meu estudo, nenhum indicativo foi encontrado que provar que determinado alimento aumenta a excitação ou desejo sexual.

Vamos então valorizar o poder da mente sobre a matéria. Nan Wise, psicoterapeuta e terapeuta sexual da Universidade Rutgers, nos EUA, diz que pelo facto de que o desejo sexual ser tão multifacetado e individual o efeito sugestivo dos afrodisíacos pode funcionar. Ela é de opinião que “o desejo é físico, psicossocial e relacional e envolve muitas variáveis”. E que se se acreditar que um alimento aumenta o desejo, a psicologia do efeito placebo pode afectar nossa capacidade de ficar excitado, com o que eu concordo inteiramente.

Tudo depende do contexto, em que se está a consumir determinado alimento. Não pensamos em chocolate com afrodisíaco sempre que comemos um. Mas dependendo do contexto em que o estamos a ingerir, podemos associar essa ideia.

Mais do que qualquer alimento, uma dieta saudável e equilibrada pode ter qualidades afrodisíacas.

No entanto deixo aqui uma lista dos alimentos que mais comummente são associados a afrodisíacos, pelo efeito que possam ter no nosso organismo a nível de desempenho sexual.

  • Amendoins – Ricos em vitamina E, aumentam a energia e o apetite sexual
  • Aveia – Aumenta o nível de testosterona e do aminoácido L-arginina
  • Gérmen de Trigo – Rico em vitaminas do complexo B e vitamina E, bem como minerais e oligoelementos, melhora o funcionamento do sistema nervoso, necessário para uma correcta resposta sexual
  • Cacau – aumenta a produção de serotonina, hormona responsável pelas sensações de prazer e felicidade
  • Gengibre – prolonga a erecção por aumentar o fluxo de sangue para os órgãos genitais e estimula a lubrificação feminina
  • Mel – aumenta os níveis de testosterona, uma das hormonas responsáveis pelo prazer
  • Pimenta e Malagueta – A capsaicina presente nestes alimentos aumenta a circulação sanguínea e a frequência cardíaca, aumenta a temperatura corporal e estimula o organismo gerando uma sensação de excitação
  • Alho – As substâncias presentes no alho estimulam a libido feminina e aumentam a circulação sanguínea
  • Espargos – É um dos alimentos afrodisíacos mais eficientes, já que uma das suas substâncias estimula a produção de histamina, a hormona responsável pela estimulação da libido
  • Ostras – Ricas em zinco, estimulam a lubrificação feminina. As suas substâncias também são usadas em tratamentos para infertilidade masculina
  • Açafrão – dizem que deixa a região da pélvis mais sensível, aumentando a sensação de prazer
  • Morango – rico em vitamina C e potássio, melhora a circulação e é muito utilizado juntamente com o chocolate como alimento afrodisíaco;
  • Canela – tonifica o corpo, estimula a circulação sanguínea
  • Castanhas, nozes e amêndoas – Ricas em zinco, selénio e vitamina E, substâncias que aumentam os níveis de hormonas que estimulam o desejo sexual. Estimulam a circulação e aumentam a lubrificação;
  • Alecrim – estimula e revigora, sendo utilizado também para combater a impotência sexual
  • Vinho – Dá um empurrãozinho à líbido, proporcionando um clima de descontracção e romance apurados. Não se esqueça que se beber demais o efeito pode ser o contrário, que é como quem diz, nada!

Sugestão ou não. Ficam aqui duas receitas com alguns alimentos considerados afrodisíacos, para surpreender a sua cara metade, num encontro romântico. Não se esqueça que o contexto no qual ingerimos determinado alimento, parece ter poder sobre o seu efeito excitante. Siga a sua intuição e desfrute do momento!

CREME DE ERVILHAS E ESPARGOS

Os espargos têm fama de aumentarem a libido, no local certo e no ambiente certo podem funcionar lindamente, com aquela pessoa certa!

Ingredientes:

  • 1 Cebola
  • 300g de ervilhas secas
  • Miso branco
  • 6 Lanças de espargos cortadas ao meio e a metade inferior picada
  • Sal marinho integral
  • 1 Tira de Alga Kombu

Coloque a Kombu no fundo de uma panela, acrescente por camadas, a cebola, as ervilhas e por fim as metades inferiores de espargos cortadas grosseiramente.

Acrescente água de forma a tapar os vegetais e leve ao lume. Quando ferver reduza o fogo para o mínimo. Deixe cozinhar cerca de 25 minutos ou até os vegetais estarem macios. Tempere com sal, miso branco e reduza a puré. Se necessário acrescente um pouco mais de água.

Entretanto, á parte numa frigideira, salteie em água com uma pitada de sal as outras metades dos espargos até ficarem ligeiramente crocantes.

Sirva a sopa guarnecida com os espargos salteados e um pouco de natas de soja.

Dica: A primeira coisa a fazer é mergulhar os espargos em água fria e limpar bem as hastes, isto porque a maioria cresce em solos arenosos, por isso, acumulam sujidade no meio das hastes. Depois dobre-os e rejeite ou pique bem e utilize na sopa a parte que se partiu, que é a mais fibrosa.

TARTE DE MORANGOS E CACAU

O Cacau é daqueles alimentos que nunca pode faltar, além de ajudar a libertar as hormonas que dão a sensação de prazer. Se a isso adicionarmos o sabor picante, quem sabe o que se seguirá?

Ingredientes:

  • 1 chávena de farinha de alfarroba
  • 1 e 1/2 chávenas de farinha de espelta
  • 1/2 chávena de geleia de arroz
  • 1 e 1/2 chávenas de bebida de arroz
  • 1 colher de sobremesa de fermento em pó biológico
  • 1 pitada de sal
  • 1 pitada de malagueta em pó
  • 3 colheres de sopa de óleo de grainha de uva (ou de milho)
  • Morangos maduros q.b e/ou outros frutos vermelhos
  • Compota de frutos do bosque sem adição de açucares

Misture todos os produtos sólidos num recipiente, com excepção da fruta. Noutro recipiente, misture todos os produtos líquidos. Adicione aos líquidos a mistura sólida, mexendo bem. Coloque tudo numa tarteira e leve a cozer ao forno, a 180º, durante 15 min. Retire do forno, deixe arrefecer e cubra com um pouco de compota de frutos do bosque. Decore com morangos ou outros frutos vermelhos e sirva como sobremesa à sua cara metade.

Dica: coloque apenas uma pitada de malagueta. O objectivo é que o sabor picante seja subtil e sensual. Se deixar a sua cara metade a arder, talvez não tenha o efeito que se pretende. Como em tudo, seja moderado.

Atreve-te a ser diferente!

Vive consciente.

Daniela Ricardo

Deixe-nos o seu comentário!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *